Pesquisar
 
 
 
 
Alterar tamanho do texto
Economia
Tufama sobressai num sector em expansão
    03-04-2017
    A Tufama é um exemplo notável da importância cada vez maior que o sector metalomecânico representa para a economia vibrante de Vila Nova de Famalicão, estando a ganhar força para se constituir como um cluster nacional de relevo. A empresa de Vale S. Cosme produz tubagens industriais para refinarias, petroquímicas, centrais de tratamento de resíduos e centrais térmicas e, ainda, para a indústria automóvel.

    Emprega uma centena de pessoas, a que se somam 220 trabalhadores através de subcontratação por contrato de obra, e fatura 12,5 milhões de euros a cada ano, sendo que prevê fechar o exercício de 2017 com uma faturação de 15 milhões. As exportações, para clientes como a Jaguar e a Mercedes, valem três quartos da produção.

    A Tufama quer reforçar ainda mais a sua vocação exportadora, pelo que se prepara para expandir a capacidade produtiva instalada. “Ainda este ano vamos avançar com a construção de um novo pavilhão industrial, em Telhado, num investimento que ronda o milhão e meio de euros”, explicou o administrador, António Matos, durante a visita que o Presidente da Câmara, Paulo Cunha, realizou à empresa esta segunda-feira, 3 de abril, no âmbito do roteiro Famalicão Made IN.

    “Cerca de 50 por cento das exportações são para os nossos clientes franceses Vinci, Bouygues e Eiffage”, sublinhou o empresário, que se dá ao luxo de ter encomendas diretas de fábricas como a Jaguar, em Birmingham, e a Mercedes, em Estugarda, para a produção e montagem de estações de filtragem de óleos. “Não temos precisado de andar à procura de trabalho; o trabalho tem vindo ter connosco”, garantiu.

    História de sucesso tem um rosto

    António Matos, 60 anos, é o principal protagonista da história bem-sucedida da Tufama. Começou a trabalhar aos 18 e aos 20 seguiu o exemplo dos pais, emigrantes em França, deixando Portugal em busca de oportunidades de emprego no exterior. Primeiro foi para a Síria, onde trabalhou numa petroquímica, depois esteve no Líbano, em França, na Suíça, na África do Sul e na Costa do Marfim.

    Durante seis anos, o empresário andou por África, pela Europa e pelo Médio Oriente a trabalhar na produção e montagem de tubagens industriais em refinarias e petroquímicas. Foi com este o know how internacional adquirido nesta atividade que António Matos regressou a Portugal em 1983 e fundou a Tufama, no ano seguinte.

    “Graças a esta mundividência, António Matos conseguiu construir uma referência mundial da metalomecânica. Ele é um caso de sucesso de emigração. E, por isso, quando muitos famalicenses precisarem de um estímulo para os seus projetos empresariais, que vejam em António Matos a melhor pessoa”, sublinhou Paulo Cunha, felicitando o empresário pelo facto de toda a maquinaria da Tufama ser exclusivamente fabricada por outra empresa famalicense.

    O autarca enalteceu ainda “a audácia e o arrojo” de António Matos, “fundamental à reestruturação da economia local e nacional”, hoje responsável por uma empresa de dimensão mundial e que beneficia do ecossistema empreendedor que caracteriza o concelho famalicense.
03-04-2017 Tufama sobressai num sector em expansão
Imagens: FAMA TV
    Receber Notícias
 
 
Subscrever RSS  
 
Enviar por email  
 
Imprimir  
2294 leituras
 
 
TOPO
 
   
  Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão © copyright 2017 | handmade by brainhouse