Pesquisar
 
 
 
 
Alterar tamanho do texto
Freguesias
Parque infantil e radical para crianças e jovens de Riba de Ave
    21-07-2003
    A vila de Riba de Ave vai ter um novo espaço público de lazer, que integrará uma área ajardinada e um parque radical. O projecto para a criação do espaço, num terreno público disponível no Largo do Ribeirinho – junto à estrada que faz a ligação entre Riba de Ave a Vila das Aves – foi apresentado pela Junta de Freguesia à Câmara Municipal na semana passada, durante uma visita de trabalho do presidente do município famalicense, Armindo Costa, à freguesia de Riba de Ave. Acompanhado pelo vereador das Freguesias, Jorge Carvalho, o presidente da Câmara Municipal gostou da ideia avançada por Armando Carvalho, presidente da Junta de Freguesia, tendo garantido o apoio da autarquia para a materialização do projecto.

    Simultaneamente, Armindo Costa anunciou para breve a instalação de um parque infantil no Jardim-de-Infância de Riba de Ave, cujos equipamentos já foram adquiridos pela Câmara Municipal. "Quando regressarem, em Setembro, terão um parque infantil novo", anunciou Armindo Costa, para contentamento das crianças. De resto, estes compromissos só confirmam a existência de uma aposta da Câmara Municipal em infra-estruturas de apoio às crianças e jovens de Riba de Ave, ou não tivesse sido recentemente concluída a construção do polidesportivo paroquial, igualmente apoiado pela autarquia.

    O alargamento do cemitério paroquial foi outro dos temas em destaque na jornada de trabalho que o presidente da Câmara reservou para a vila ribadavense. Confrontado com a dificuldade de negociação do terreno adequado para o efeito e reconhecendo a urgência da obra, Armindo Costa deixou a garantia de que a Câmara Municipal vai retomar rapidamente as negociações dos terrenos com os proprietários, naquela que será a última tentativa no sentido de haver um acordo. Caso as dificuldades de entendimento se mantenham, o presidente da Câmara admite avançar com um processo de expropriação da propriedade, até porque, como disse “esta é mais procupante necessidade de Riba de Ave neste momento”.

    Contudo, as necessidades de Riba de Ave não se ficam por aqui. Reconhecendo que “uma vila como Riba de Ave, com características essencialmente urbanas, já deveria ter concluídas as redes de saneamento básico e de abastecimento de água”, Armindo Costa deixou aos autarcas da freguesia a garantia de que a Câmara Municipal irá desenvolver todos os esforços para responder a estas necessidades básicas da população.

    A mesma determinação demonstrou Armindo Costa, quando confrontado com o elevado número de crianças em lista de espera para frequentarem o jardim-de-infância da freguesia, inaugurado apenas há um ano. A criação de uma nova sala da aulas, que se juntaria às duas já existentes, é a medida imediata que a Câmara pretende aplicar, ficando os serviços competentes encarregados de estudar a melhor forma para o fazer.

    Ao nível da obra feita, a comitiva esteve de visita ao novo polidesportivo paroquial, cujas obras foram apoiadas pela Câmara Municipal, com 30 mil euros, e pela Junta de Freguesia, com 2500 euros. Armindo Costa foi também recebido pelo pároco de Riba de Ave, tendo este apresentado um projecto de reabilitação da residência paroquial, que passa, nomeadamente, pela criação de uma galeria paroquial destinada a exposições.

    Entretanto, Armindo Costa e Armando Carvalho fizeram um périplo por várias artérias de Riba de Ave que estiveram sujeitas a obras de beneficiação, confirmando que existe ainda trabalho para fazer, mas também, que a vila está bem mais acessível do que há uns meses atrás.

    Finalmente, Armindo Costa esteve de passagem ao lugar da Sobreira – concelho de Guimarães –, cuja população há muitos anos reivindica a sua integração em Riba de Ave. O presidente da Câmara Municipal mostrou-se consciente da complexidade do processo e recusou uma polémica com Guimarães por causa do problema. Contudo, Armindo Costa notou que os deputados à Assembleia da República de Vila Nova de Famalicão já foram sensibilizados para o problema. “A vontade das pessoas deveria ser respeitada”, referiu Armindo Costa, salientado que “não é justo que aquelas pessoas continuem a pertencer à freguesia de Serzedelo, porque têm os filhos nas escolas de Riba de Ave, vêm ao médico e à missa a Riba de Ave e até recebem água de rede pública de Riba de Ave”.
    Receber Notícias
 
 
Subscrever RSS  
 
Enviar por email  
 
Imprimir  
1352 leituras
 
 
TOPO
 
   
  Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão © copyright 2018 | handmade by brainhouse