Pesquisar
 
 
 
 
Alterar tamanho do texto
Câmara
Paulo Cunha convoca todos os famalicenses para o futuro do concelho
    12-07-2016
    O abraço forte e comovente que uniu o presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, Paulo Cunha, e Francisco Ferreira da Silva, de 100 anos de idade, que recebeu a Medalha de Mérito Municipal Cultural foi, sem dúvida, o momento marcante da sessão solene das comemorações do 31.º aniversário da Cidade de Vila Nova de Famalicão, que se realizou no passado sábado, na Casa das Artes.
    O gesto emocionou a plateia que instintivamente se ergueu para aplaudir em pé este grande homem que simboliza em si mesmo tudo aquilo que se pretende enaltecer no Dia da Cidade de Famalicão. Francisco Ferreira da Silva é um dos homens que “ajudou a construir o concelho e cujo exemplo deve ser secundado por todos os famalicenses”, como afirmava Paulo Cunha no seu discurso. Apaixonado pela música e tocador de clarinete, Francisco da Silva foi o fundador da Banda Marcial de Arnoso Santa Maria. Ensinou música a aproximadamente 80 pessoas e ajudou muita gente a apender a ler e escrever. Com uma vitalidade e uma alegria contagiantes, o professor Francisco, como ainda é conhecido, é considerado um exemplo para a sociedade, principalmente perante os mais jovens.

    No total, Paulo Cunha entregou 40 medalhas de mérito municipal, numa cerimónia carregada de emoção, que encheu por completo o grande auditório da Casa das Artes. Segundo o autarca “é da mais elementar justiça homenagear o percurso pessoal de cada um, a exemplaridade dos projetos e a excelência dos resultados obtidos”. Assumindo “o lastro histórico importantíssimo e muito valioso que ajudou a sediar em Vila Nova de Famalicão um ADN empreendedor”, Paulo Cunha afirmou, no entanto, que “nenhuma comunidade vive dos seus legados históricos”. Por isso, “todos temos que dar o contributo para o futuro”. Num discurso mobilizador, o autarca salientou que o município assume o seu papel “convocante, estimulante e de criação de sinergias”. “É isso que temos procurado fazer e que continuaremos a fazer no futuro” afirmou salientando “que não dispensa ninguém porque todos têm um papel relevante”. Paulo Cunha recordou ainda o financiamento alcançado para o município no âmbito do PEDU, “um pacote interessante que não tem comparação em qualquer quadro comunitário anterior”. Num concelho que tem conseguido atrair gente para viver, para trabalhar e para investir, o autarca afirmou ainda que quer uma atratividade centrada nas pessoas e usou o conceito de ‘inteligência social’. Regressando às origens, Paulo Cunha acredita que “é possível continuar a trajetória de crescimento do concelho” cumprindo os desígnios dos antepassados, cabendo à Câmara Municipal “criar condições para que aquela convergência exista”.

    Neste âmbito, Famalicão não esqueceu os grandes obreiros do concelho, homenageando a título póstumo, Narciso Ferreira, fundador da empresa Sampaio, Ferreira & C.a, Lda e da Central Termoelétrica de Caniços, entre outras; Manuel Gonçalves, criador da Têxtil Manuel Gonçalves; José Dias de Oliveira, fundador da Riopele, e os irmãos José Gomes da Costa Carvalho e Lino Gomes da Costa Carvalho iniciadores da relojoaria “Boa Reguladora”.

    E se por um lado, consagrou os históricos obreiros do concelho, por outro o município homenageou os novos empreendedores. Com a Medalha de Mérito Económico foram distinguidos Filipe Vila Nova, fundador e administrador da Salsa; Pedro Olavo Santos Carreira, gestor da Continental Mabor e ainda Renato Cunha, chefe de cozinha e responsável pelo projeto do Restaurante Ferrugem.

    Com a Medalha de Honra foi distinguido o arquiteto Noé Silva Dinis, que projetou o Parque da Devesa, o grande pulmão verde da região, mas que também foi o autor da Urbanização das Lameiras, nos anos 80. António Barbosa, até há pouco tempo vereador da Câmara Municipal eleito Partido Socialista, foi agraciado com a medalha de Mérito Municipal Autárquico pelo seu percurso enquanto autarca no concelho. De salientar ainda a atribuição das medalhas de Mérito Municipal Cultural à bailarina internacional Mariana Tengner Barros e à atriz famalicense Kika Magalhães que conquistou recentemente a crítica de cinema dos Estados Unidos com o papel de protagonista em “The Eyes Of My Mother”, sendo considerada por vários meios uma revelação do festival de cinema de Sundance. Maria Teresa Vilhena Mesquita, diretora do Jornal de Famalicão, foi também distinguida por Paulo Cunha, pela sua dedicação de muitos anos à causa da Comunicação Social local.
09-07-2016 Paulo Cunha convoca todos os famalicenses para o futuro do concelho
Imagens: FAMA TV
    Receber Notícias
 
 
Subscrever RSS  
 
Enviar por email  
 
Imprimir  
1054 leituras
 
 
TOPO
 
   
  Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão © copyright 2019 | handmade by brainhouse