Pesquisar
 
 
 
 
Programar em Rede
Alterar tamanho do texto
 
Tendo em conta a 3ª edição deste programa lançado em 2016 pelo Pelouro da Cultura, indicam-se as normas de acesso ao mesmo, o qual tem entre os principais objetivos, distinguir as candidaturas, que sejam de maior relevância para o concelho e que se diferenciem pela inovação e diferenciação criativas apresentadas, pela capacidade de articulação com outros agentes culturais, por assegurarem a sua sustentabilidade e capacidade de mobilizar outras fontes de financiamento ou patrocínios, e que ao mesmo tempo contribuam para a descentralização da atividade cultural no concelho. Divisão de Cultura e Turismo
Praça Álvaro Marques,
4764-502 Vila Nova de Famalicão
Tel.: 252 320900 | Fax: 252 323751
E-mail: cultura@vilanovadefamalicao.org
Horário:
Segunda a Quinta - 09h00 às 18h00
Sexta-Feira - 09h00 às 12h00

Ver Regulamento 2018-19 »

Ficha de Inscrição 2018-19 »

PROJECTO VENCEDOR 2017
Nome do projeto: Traço
Entidade: Nozes de Prata – Associação Artística e Cultural

Breve Historial da Entidade “coordenadora” do Projeto:
A Associação Nozes de Prata foi criada em 2014 pel’A Casa ao Lado – Centro Artístico, com o propósito de desenvolver atividades de cariz social, sempre tendo em conta a Arte como veículo mobilizador.
Desde a sua criação, A Nozes de Prata tem vindo a desenvolver trabalhos comunitários com diversas instituições como Agrupamentos de Escolas, Cruz Vermelha Portuguesa, Casa da Juventude de Vila Nova de Famalicão, Universidade Sénior de Vila Nova de Famalicão, Torre Sénior de Santo Tirso.

Descrição, apresentação e fundamentação:
Com o projeto “TRAÇO” pretende-se desenvolver e despertar o interesse dos indivíduos envolvidos, nomeadamente jovens entre os 6 e 15 anos residentes nos Edifícios das Lameira, através da acessibilidade e experimentação artística, procurando distinguir os seguintes objetivos:
• Esta intervenção tem como objetivo alterar determinada situação, resolver ou minimizar problemas de exclusão social através de uma metodologia de intervenção social pela arte;
• Integrar jovens em situação de risco de exclusão social, através de uma metodologia baseada na formação artística;
• Possibilitar ao sujeito o seu reconhecimento como agente cultural ativo através da construção da sua identidade;
• Intervir na formação do individuo de forma a que este se torne ativo, capaz de questionar o mundo e agir sobre ele;
• Desenvolver a consciência cívica, pela promoção da cidadania e participação na comunidade, através de uma educação cívica de promoção da arte e da cultura e de aproximação da arte com a comunidade;
• Permitir aos jovens, com condições socioeconómicas vulneráveis, usufruir de experiencias artísticas dando a conhecer outras realidades, aproximando-os de pessoas culturalmente diferentes sem que se percam os valores de equidade e igualdade social;
• Potencializar competências sociais e intelectuais no indivíduo e no seu contexto através da inclusão pela arte;
• Sensibilizar os agentes económicos, sociais e culturais para novos paradigmas de inclusão social;

Paralelamente ao potencial sociocultural exposto, este projeto alberga uma componente económica fundamente no que concerne ao impacto para a economia local e regional.
Neste sentido, observa-se um interesse crescente na nova filosofia das políticas públicas e privadas cujas entidades surgem como parceiros na provisão do bem-estar das comunidades. A tendência é para que os órgãos de governo locais ou as parcerias locais se envolvam ativamente no desenvolvimento e gestão dos projetos cujo retorno se traduz no bem-estar das comunidades.
Por conseguinte, as parcerias enquanto estruturas de ação integrada põem em comum recursos com vista a abranger determinadas finalidades, como por exemplo, partilhar pertenças, fazer circular informação, promover cooperação, mobilizar capitais ou conectar agentes económicos.
Este projeto prevê um conjunto de parcerias que se traduzem numa mais-valia quer para as diferentes instituições cooperantes, como para a e economia e comunidades locais. Designadamente, com a participação das seguintes instituições, que assumiram uma componente executiva específica:
• Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão;
• Associação de Moradores das Lameiras;
• OFICINA – Escola Profissional;
• ESAP – Escola Superior Artística do Porto;
• Associação Dar as Mãos;
• ARGA Tintas;
• COLORADD;
• Turismo do Porto e Norte de Portugal, E.R

O projeto terá a duração máxima de 8 meses.

• O desenvolvimento do projeto será dividido em fases de execução em conformidade com a planificação metodológica exposta em seguida e calendarização em anexo:

Projeto a desenvolver:
• Workshops, Palestras: em espaço a combinar nos Edifícios das Lameiras;
• A imagem gráfica das Pinturas Murais serão realizadas tendo em conta os rostos das pessoas mais marcantes da zona das Lameiras;
• Pequenas silhuetas dos rostos pintados estarão em destaque em ponto pequeno em cada canto das Torres, cada um com um código QR.
• Esses códigos abrirão as reportagens das pessoas envolvidas, a sua história e o seu envolvimento com a zona das Lameiras.
• Será realizada uma Mostra final do Projeto na zona das Lameiras em local a combinar, de forma a mostrar o desenvolvimento do projeto entre os grupos, com Fotografias e Vídeos.




 
 
TOPO
 
   
  Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão © copyright 2018 | handmade by brainhouse