Pesquisar
 
 
 
 
Alterar tamanho do texto
Cultura e Turismo
“Cratera” de Miguel Branco para ver na Ala da Frente
    05-02-2018
    É um dos mais conceituados artistas plásticos da atualidade em Portugal e esteve no passado sábado em Vila Nova de Famalicão para inaugurar a sua nova exposição. Até 18 de maio, Miguel Branco expõe “Cratera” na galeria de arte contemporânea famalicense – Ala da Frente.

    A singular atenção que presta à pintura e à escultura confere um carácter intimista às exposições de Miguel Branco, o que atrai os visitantes para uma fruição mais apurada. “Tem uma dedicação particular com o espaço para que o resultado possa ser o mais completo possível e nos leve à contemplação, à visão cuidada de cada uma das obras. Estreitam-se laços de silêncio na nossa observação, a dimensão promove uma concentração delicada, minuciosa, precisa”, explica o curador da Ala da Frente, António Gonçalves.

    Sobre a exposição que Miguel Branco tem agora patente em Vila Nova de Famalicão, António Gonçalves explica que o artista plástico “traz mais um singular trabalho de articulação das obras com a sala de exposição, redimensionando-o, tornando-o uma parte complementar à fruição da obra onde poderemos encontrar um conjunto de pinturas em que a "cratera" é o pretexto para ali se refletir e aprofundar a nossa conceção do tempo”.

    Nascido em 1963, em Castelo Branco, Miguel Branco tem obras nas coleções do Centro de Arte Moderna da Fundação Calouste Gulbenkian e na Fundação EDP, em Lisboa, na Fundação de Serralves, no Porto, e no Museu de Arte Moderna Grão-Duque Jean (Mudam), no Luxemburgo, entre outras instituições.

    Recorde-se que a Galeria Municipal Ala da Frente, assim chamada pelo facto da sala de exposição se encontrar na ala da frente do Palacete Barão da Trovisqueira, e por referência à contemporaneidade e vanguardismo associados ao espaço, foi inaugurada em 30 de maio de 2015, tendo iniciado o seu percurso com uma exposição de obras de Jorge Molder. Seguiu-se Rui Chafes, o vencedor do Prémio Pessoa 2015, com a mostra “Exúvia”, João Queiroz, com “Encaústicas”, José Pedro Croft, com “Prova de Estado”, Pedro Cabrita Reis com “Ridi Pagliaccio”, Pedro Casqueiro com “Desordem Vertical”, Alberto Carneiro com “Árvores e Rios” e “Uma Certa Quantidade” de Jorge Queiroz.

    Receber Notícias
 
 
Subscrever RSS  
 
Enviar por email  
 
Imprimir  
419 leituras
 
 
TOPO
 
   
  Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão © copyright 2018 | handmade by brainhouse