Pesquisar
 
 
 
 
Alterar tamanho do texto
Cultura e Turismo
Famalicão e Fundação Serralves unidos na promoção da cultura
    07-06-2018
    À primeira vista parece um original banco de jardim muito bem enquadrado com a paisagem do Parque da Devesa, mas a escultura de José Pedro Croft que decora, desde a passada segunda-feira, os jardins da Casa do Território, representa a porta de entrada de Vila Nova de Famalicão na programação cultural da Fundação Serralves, no âmbito do acordo de adesão do município famalicense ao Conselho de Fundadores da Fundação celebrado em 2016.

    A escultura Sem Título de 1990, pertencente à Secretaria de Estado da Cultura, integra a coleção da Fundação Serralves e serve de prenúncio à exposição “A Minha Casa é a Tua Casa, Imagens do Doméstico e do Urbano na Coleção de Serralves” que ficará patente na Casa do Território, no Parque da Devesa, entre outubro de 2018 e junho de 2019, reunindo um conjunto diversificado de artistas como Filipa César, Pedro Cabrita Reis, Gil Heitor Cortesão, Ângela Ferreira, Fernanda Fragateiro, Gordon Matta-Clark, Juan Muñoz, Bruce Nauman, Luís Palma, Martha Rosler e Ana Vieira.

    Na apresentação da escultura, o presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, salientou a importância para Famalicão de ter um parceiro cultural estratégico como é Serralves. “Temos uma estratégia para a cultura no concelho, acreditamos que é preciso continuar a fazer o que temos feito ao longo dos anos, mas é também preciso acrescentar algo de novo àquilo que sempre fizemos. E esse algo novo deve dar-nos uma projeção do ponto de vista regional, nacional e internacional e, acima de tudo, promover a cooperação e a interação com outras instituições”. Neste âmbito, o autarca sublinhou que “Serralves é uma instituição que dispensa apresentações, é conceituada e dá-nos condições para fazer parte de uma plataforma cultural com visibilidade inegável”.

    No mesmo sentido, a presidente da Fundação Serralves, Ana Pinho, sublinhou a importância da cooperação com Famalicão no âmbito da politica de descentralização da Fundação. “A Fundação Serralves tenta estar fora dos seus muros, chegando mais perto das pessoas, levando a uma maior participação e compreensão, bem como maior proximidade da arte contemporânea junto das populações”. Para a responsável, “Famalicão é um concelho com o qual temos muita alegria de estar nesta parceria”, salientou ainda.

    Refira-se que a obra de José Pedro Croft usa uma técnica tradicional da escultura, a modelação em gesso e posterior passagem a bronze, para realizar uma escultura que alude ao espaço doméstico e às experiências do quotidiano. Neste caso, um segmento de cone evoca um alguidar. As formas da obra, bem como a pintura branca que reveste o bronze, estabelecem uma ponte entre a simplicidade dos objetos domésticos e a grandiloquência dos sólidos geométricos, que torna impossível o uso dos objetos devido ao seu peso.

    Recorde-se que, com a celebração do acordo de adesão do município a Serralves iniciou-se uma relação de cooperação entre estas duas instituições, baseada num projeto integrativo de promoção e divulgação cultural e ambiental, que entre outras atividades prevê, por exemplo, o acesso em Famalicão às inúmeras exposições itinerantes da Coleção de Serralves, entre outras iniciativas.
    A Fundação Serralves é uma instituição de utilidade pública de que são fundadores, entre outros o Estado, e um importante conjunto de entidades singulares e coletivas, que representam a iniciativa privada, a sociedade civil e as autarquias. Ao todo, a Fundação Serralves conta neste momento com cerca de 241 fundadores.
    Receber Notícias
 
 
Subscrever RSS  
 
Enviar por email  
 
Imprimir  
409 leituras
 
 
TOPO
 
   
  Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão © copyright 2018 | handmade by brainhouse